As duas equipes da Unipê vão se enfrentar na segunda rodada da Liga Paraibana de Vôlei. Os jogos da rodada vão acontecer entre esta sexta-feira e sábado, e a todo vão ser nove partidas. De acordo com a programação da organização, os confrontos vão ser realizados no Ginásio da Escola Técnica Estadual, no bairro de Mangabeira.

A partida que vai abrir a rodada sera entre as equipes do Unipê pelo torneio masculino.

A equipe do Unipê A vai enfrentar o Unipê B na noite da sexta-feira, a partir das 18h40, no Ginásio da Escola Técnica.

Logo depois, ainda pela competição masculina, PB Pex vai jogar contra o Vôlei Strong no mesmo local. E fechando os jogos da sexta-feira, Vôlei Tradição vai enfrentar o Vôlei Strong pelo torneio feminino, no mesmo ginásio.

Os confrontos vão continuar no sábado, também no Ginásio da Escola Técnica Estadual, em Mangabeira.

As partidas vão começar às 11h20, com o Interactivo enfrentando o Vôlei Jampa.

Logo depois, Univôlei vai jogar contra o Idealize ainda pela competição masculina.

Já pelo torneio feminino, o PB Master vai jogar contra o Iesp/Cabo Branco. Ainda pelo torneio das meninas, o Unipê vai enfrentar o Atalaia Vôlei.

Logo depois, o Jornada Vôlei vai jogar contra o Unap/ SOS Otorrino também pelo feminino e fechando a rodada, o Strong Team vai entrar em quadra contra o Interactivo Vôlei.

Ge

O Cruzeiro surpreendeu o Flamengo nesta quarta-feira (8), em pleno Maracanã, na primeira partida entre ambos pelas oitavas de final da Copa Libertadores. A equipe mineira venceu o confronto por 2 a 0 e, desta forma, construiu uma ótima vantagem para o duelo da volta, que ocorrerá em Belo Horizonte, no dia 29 de agosto. Os gols da equipe celeste foram marcados por Arrascaeta e Thiago Neves.

O vencedor desta eliminatória entre brasileiros enfrentará o ganhador do duelo entre Boca Juniors e Libertad-PAR. Nesta quarta, o time argentino venceu o Libertad-PAR por 2 a 0, em Buenos Aires, triunfo que representou um importante passo para a classificação às quartas da Libertadores.

O jogo

O íncio do jogo foi de muito equilíbrio e com os times se estudarando nos primeiros minutos.

A primeira chegada à linha de fundo aconteceu aos 7 minutos, quando o flamenguista Marlos Moreno cruzou, mas foi interceptado pela defesa do Cruzeiro.

Na cobrança do escanteio, o meia Diego Ribas quase fez um gol olímpico. A bola entraria na primeira trave, mas o goleiro Fábio conseguiu cortar e cedeu novo escanteio para o time da casa.

No entanto, os donos da casa foram surpreendidos pelo Cruzeiro dois minutos mais tarde, quando o uruguaio Arrascaeta surgiu sozinho na área, dominou e bateu rasteiro, na saída do goleiro Diego Alves, para abrir o placar: 1 a 0.

Os jogadores do time rubro-negro carioca pediram a marcação da impedimento, mas Rodinei e Jean Lucas davam condições para o atleta cruzeirense.

O árbitro argentino Néstor Pitana — ele também foi árbitro da final da última Copa do Mundo, vencida pela França com uma goleada por 4 a 2 sobre a Croácia, em Moscou — validou o lance.

Aos 13, o experiente meia Thiago Neves entrou fez uma falta por trás no meio-campista Jean Lucas e foi punido com o cartão amarelo pela arbiragem.

Pouco depois, o mesmo Thiago Neves perdeu um gol incrível e, consequentemente, a chance de aumentar a vantagem do Cruzeiro na partida. O meia recebeu um passe de Robinho dentro da pequena área, quase embaixo do gol e absolutamente livre, mas acertou a trave superior de Diego Alves.

O Flamengo, que não tinha mais Paolo Guerrero, negociado com o Internacional, tentou recuperar o domínio das ações ofensivas.

Aos 23 minutos, o colombiano Fernando Uribe testou com perigo para Fábio, mas a bola cruzou o gol sem que o ataque do Flamengo conseguisse alcançar a sobra.

Aos 30, o lateral Rodinei recebeu de Éverton Ribeiro na direita e cruzou para Uribe. O colombiano chegou em velocidade e acertou uma cabeçada forte, mas a bola passou à esquerda do gol de Fábio.

Quatro minutos depois, o Flamengo bateu escanteio pela direita, a bola viajou baixa pela área do cruzeiro e com muito perigo. O goleiro Fábio desviou levemente, mas o ataque da equipe carioca não conseguiu aproveitar o rebote. Por fim, o lateral Edílson afastou para a linha de fundo.

Antes do encerramento do primeiro tempo, aos 45 minutos, Éverton Ribeiro achou Rodinei dentro da área e o lateral bateu firme. Fábio deu rebote, a bola voltou para Éverton, que novamente passou para Rodinei. Mais uma vez, o goleiro cruzeirense levou a melhor e fez a defesa.

O Flamengo pressionou muito — teve 60% de posse de bola —, mas sem objetividade. O Cruzeiro, por outro lado, administrou o ímpeto do adversário e teve chances para ampliar o marcador nos contra-ataques.

Segundo tempo

O Flamengo voltou para a segunda etapa com muita disposição e quase empatou a partida aos 3 minutos. O cruzamento da direita encontrou Uribe, que cabeceou para o chão, de forma certeira, mas Fábio fez uma linda defesa e evitou o gol.

Aos 8 minutos, o atacante Marlos Moreno entrou na área e caiu após tentar passar pelo zagueiro Dedé. Todo o time flamenguista pediu pênalti, mas Néstor Pitana mandou o lance seguir.

Porém, o árbitro argentino não utilizou ou mesmo foi acionado pelo VAR (Árbitro Assistente de Vídeo, na sigla em inglês), recurso disponibilizado nesta fase da Libertadores pela Conmebol, entidade que administra o futebol sul-americano.

Assim como no primeiro tempo, o Flamengo ficava mais com a bola, mas não conseguia furar o bloqueio armado pela zaga da equipe celeste.

Aos 21 minutos, o lateral Edílson arrancou pelo meio e foi parado com falta por Cuéllar. O volante flamenguista recebeu o cartão amarelo. Na cobrança de falta, Thiago Neves carimbou a barreira.

Na sequência, o jovem atacante Raniel, que havia entrado no lugar do argentino Barcos, dominou na coxa e arriscou de longe. O chute passou muito perto da trave direita de Diego Alves, que caiu assustado.

O Flamengo continuava sufocando, mas o Cruzeiro praticamente praticamente garantiu a vitória — e talvez a classificação — com um gol de Thiago Neves, aos 32 minutos. Bem colocado na área, o meia desviou um chute do volante Lucas Silva e enganou o goleiro Diego Alves.

Logo após marcar o gol, Thiago Neves, velho conhecido das torcidas do Rio de Janeiro (com passagens por Fluminense e Flamengo), foi substituído pelo volante argentino Ariel Cabral.

Depois de sofrer o segundo gol, os jogadores do Flamengo demonstraram abatimento e não conseguiram nem mesmo pressionar o adversário como antes.

O Cruzeiro ainda teve duas grandes chances de fazer o terceiro gol, mas foi salvo em ambas pelo goleiro Diego Alves de um resultado ainda mais desastroso para os planos do clube de avançar na Libertadores.

Na primeira delas, Raniel chutou cruzado, mas Diego Alves caiu bem e desviou com o braço direito. Na segunda, Rafinha surgiu na frente do goleiro flamenguista e tentou tocar na saída de Diego, que defendeu com os pés.

No fim, a pequena torcida cruzeirense que compareceu ao Maracanã fez uma festa incrível e calou os mais de 40 mil flamenguistas que tentaram apoiar o time.

Ficha técnica

FLAMENGO 0 x 2 CRUZEIRO

8/8 – Maracanã (Rio de Janeiro)

Árbitro: Néstor Pitana (Argentina); Público: 41.533 (pagantes), 45.967 (presentes); Gols: Arrascaeta, aos 9 minutos do 1º tempo; Thiago Neves, aos 32 minutos do 2º tempo; Cartões Amarelos: Thiago Neves, Robinho (Cruzeiro); Cuéllar (Flamengo).

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei (Pará, aos 40 do 2º), Réver, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Jean Lucas (Vitinho, aos 18 do 2º) e Diego; Éverton Ribeiro, Marlos (Lincoln, aos 30 do 2º) e Uribe Técnico: Maurício Barbieri.

CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Thiago Neves (Ariel Cabral, aos 35 do 2º), Robinho (Rafinha, aos 27 do 2º) e Arrascaeta; Barcos (Raniel, aos 17 do 2º). Técnico: Mano Menezes.

 

 

 

R7

O Sindicato dos Bancários da Paraíba realizou na noite desta quarta-feira (8) uma assembleia geral em João Pessoa, onde ficou decidido que a categoria não deve entrar em greve, mas as negociações permanecerão acontecendo. Eles reivindicam diversos direitos que não estariam sendo cumpridos.

Na reunião, o sindicato rejeitou por unanimidade a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentada na última terça (7), em que apenas cobre a inflação dos salários, sem aumento real. Além disso, a Fenaban também não garantiu que os funcionários não serão substituídos por trabalhadores terceirizados, algo exigido pelos bancários.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários, Marcelo Alves, a proposta não foi aceita por ser insuficiente e incompleta. Por isso, como forma de protesto, eles devem retardar o horário de abertura das agências bancárias na Paraíba nesta sexta-feira (10), passando das 10h para às 11h.

No próximo dia 17, os representantes da categoria realizarão outra reunião com a Fenaban, para que seja apresentada uma nova proposta e o Comando Nacional dos Bancários decidir se aceita ou não.

T5

Com o guia eleitoral de rádio e televisão mais curto, partidos e candidatos vão ter de usar da criatividade para caber na vitrine eletrônica em busca do voto do eleitor. Serão 25 minutos diários, divididos em duas exibições de 12:30 minutos, conforme as bancadas de cada legenda na Câmara Federal e o cargo em disputa. Além do guia, serão 70 minutos diários em inserções ao longo da programação das emissoras (35 minutos para presidente e governador; e outros 35 para deputados federal, estadual e senador.

Com seis coligações e dois partidos avulsos na disputa de vagas na Câmara dos Deputados, o maior tempo, segundo cálculo realizado pelo CORREIO com base na legislação eleitoral, será do agrupamento ‘A Força do Trabalho 1’ (PSB, PDT, PT, PTB, PRB, Podemos, PCdoB e Democratas) com 4:36 minutos (divididos em dois blocos de 2:18 minutos). Em seguida, vem o ‘Força da Esperança 1’ (PV, PSC, PSDB, PSD, SD) com 2:55 minutos por dia de exibição.

Como o tempo para todos é de 9 minutos, quem não conseguiu uma coligação com legendas expressivas terá de se desdobrar em programas que não passam de 10 segundos. É o caso do Psol, com a chapa já em fase de julgamento do registro, que terá oito na disputa pela Câmara, com o tempo diário de 15 segundos.

A coligação ‘Força da Esperança 3’ (DC, PRTB e PSL) terá 14 segundos por dia, com seus 24 candidatos homologados na convenção conjunta para cadeiras federais.

Estadual

Entre as coligações na disputa por cadeiras na Assembleia Legislativa, o agrupamento de maior tempo é o ‘Força da Esperança 2’ (PSDB, PV, PP, PSC, PSD, PTC e PHS) com 2:33 minutos por dia de exibição do guia eleitoral de deputado estadual. Em seguida vem ‘A Força do Trabalho 3’ (PSB, PDT, PTB, PRB, Podemos, PRP e PCdoB, com 1:56 minutos.

Dentre os que menos tempo terá para fazer a exibição de suas propostas na mídia eletrônica gratuita estão os partidos Patriota (8 segundos) com seus 40 candidatos homologados; e o PSol (10 segundos) com 11 candidatos.

Revezamento

A exibição do guia eleitoral terá a alternância diária por cargos. Segunda, quarta e sextas-feiras serão exibidos os programas de governador (9 minutos), deputado estadual (9 minutos) e senador (7 minutos).

Às terças, quintas-feiras e sábados serão programas de presidente (12:30 minutos) e deputado federal (12:30 minutos). As inserções podem ser de 30 segundos ou 60 segundos, a critério dos partido ou coligação.