A Prefeitura Municipal de Conde, na Paraíba, realizará concurso público para a Guarda Civil Municipal e Secretaria de Educação, Esporte e Cultura, para o cargo de professor. A previsão de divulgação do edital é até final deste mês de fevereiro, o concurso acontece no mês de abril e as contratações programadas ainda para este ano. As informações foram dadas ao Portal ClickPB pela prefeita Márcia Lucena.

Ela também adiantou como será a distribuição dos cargos: ficou definido que serão oferecidas 72 vagas, sendo 20 para guardas municipais e 52 para professores da Educação Básica do Ensino Fundamental II.

“A gente está fazendo toda a leitura do nosso financeiro para a gente não estar colocando para dentro e depois não conseguir cumprir. As dificuldades financeiras permanecem, toda hora aparece um dinheiro contingenciado, uma multa de grande volume para pagar, então é preciso ir com muito cuidado, mas a gente está trabalhando com essa atenção e até o fim de fevereiro o edital está na rua”, explicou.

A prefeita disse que, apesar da necessidade de ampliar quadros, não pode oferecer vagas em outras áreas, como agentes comunitários de saúde, área administrativa, por causa das dificuldades financeiras, portanto isso vai ficar para outro momento, disse Márcia. “Nós fizemos um estudo e sabemos que existe necessidade em várias áreas, mas justamente pela nossa situação de orçamento, de dificuldade financeira, a gente não pode dar um passo do tamanho que a gente precisa nesse momento, para manter o compromisso e não desequilibrar nada”.

De acordo com a prefeita, o concurso está garantido no orçamento municipal e será destinado à substituição dos prestadores de serviço que trabalham atualmente na administração municipal da cidade de Conde.

clickpb

O corpo do jornalista Ricardo Boechat deve ser cremado hoje (12) em cerimônia reservada para parentes e amigos próximos, segundo informações do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Até as 14h ocorre o velório no Museu da Imagem e do Som (MIS), no bairro Jardim Europa, na capital paulista.

O jornalista do Grupo Bandeirantes morreu na queda de um helicóptero na Rodovia Anhanguera, quando retornava de uma palestra em Campinas. O helicóptero caiu em cima de um caminhão no km 22 da Rodovia Anhanguera, sentido interior, com o Rodoanel, e acabou explodindo. O motorista do caminhão conseguiu escapar com vida.

O acidente ocorreu no início da tarde de ontem (11). O piloto da aeronave, Ronaldo Quatrucci, também morreu.

A pedido do presidente Jair Bolsonaro, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, irá representá-lo no velório do jornalista. Bolsonaro disse que ele e Boechat eram amigos “há mais de 30 anos” e que apelidou o jornalista de “Jacaré”.

Boechat tinha 66 anos, era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e tinha uma coluna semanal na revista ISTOÉ.

Dono de um humor ácido, usava essa característica para noticiar fatos e criticar situações. O tom era frequente nos comentários de rádio, televisão e também na imprensa escrita. Autoridades dos três Poderes vieram a público para lamentar a morte do jornalista. Boechat deixa mulher, cinco filhas e um filho.

Clickpb

Em uma parceria entre a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e outras instituições, foi lançado o edital para o Programa Doutorado Acadêmico para Inovação (DAI). Os doutorandos irão desenvolver projetos para apresentar soluções inovadoras que otimizem o desempenho da companhia, nas áreas comercial, administrativa e de operação. As inscrições começam na próxima quinta-feira (14) e seguem até o dia 21 de fevereiro.

Serão oferecidas 10 bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os programas de doutorado foram selecionados de acordo com a demanda das empresas, considerando a área de atuação de cada programa. Os quatro temas apresentados pela Cagepa foram aprovados pelo programa e estão disponíveis para os doutorandos desenvolverem sua tese: Big Data e IoT (internet das coisas) e técnicas; Água: processos de fornecimento, saneamento e purificação; Produtos financeiros – negociação de débitos; e Produtos financeiros – avaliação de custos.

Os doutorandos desenvolverão sua tese como estudante regular em um dos seguintes cursos de pós-graduação: Engenharia Mecânica, Economia, Administração e Ciências Contábeis. Além de receber a orientação acadêmica de um professor do curso, o estudante também será acompanhado por um agente da Cagepa, que vai supervisionar os trabalhos e pesquisas desenvolvidos no ambiente empresarial.

A seleção será feita por meio de entrevista e análise do projeto. O resultado da homologação das inscrições será divulgada no dia 25 de fevereiro. O edital completo pode ser acessado no site da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFPB: www.prpg.ufpb.br.

Secom-PB

A vaga aberta com a renúncia de Eduardo Carneiro do mandato de vereador de João Pessoa para assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) passa ser disputada na Justiça por quatro suplentes. Depois de Carlão do Cristo (Pros), Marcílio Ferreira (PMN) e Helena Holanda (Progressista), agora foi a vez de Marmuthe Cavalcanti ingressar com um pedido para que a Justiça o reconheça como titular da vaga.

Leia mais: Partidos esperam afastamento de secretários citados na ‘Calvário’

A defesa de Marmuthe alega na ação que em que pese o diploma conferido pela Justiça Eleitoral é certo que ele é segundo suplente, comprovado quando o vereador eleito Pedro Alberto Coutinho (PSD) veio a falecer no dia 19 de maio do ano de 2017, ocasião em que o então primeiro suplente, Professor Gabriel (PHS), foi alçado à titularidade do mandato.

Alegação
Desse modo, Marmuthe alega que passou a ser o primeiro suplente da coligação, e como prova inequívoca desta condição, afirmou que foi convocado pela Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa para assumir a vaga durante o período em que uma das titulares do mandato se licenciou do cargo.

Com base nisso, sendo o postulante o primeiro suplente de coligação, entende que superou a cláusula de barreira e teve, nada mais, nada menos, do que o dobro da votação de Marcílio Ferreira. “É induvidoso que a titularidade do mandato vago, decorrente da renúncia de Eduardo Carneiro, deve ser reconhecido a mim”, destacou.

portalcorreio

O Ministério da Saúde, alinhado com a Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgou recentemente que crianças que ficam sem cicatriz no braço após receberem a vacina contra a tuberculose – conhecida como BCG – não precisam de uma reaplicação. O governo informou que estudos comprovaram a eficácia da vacinação também naquelas que não apresentam uma cicatriz após a injeção.

“O Programa Nacional de Imunizações recomenda não revacinar crianças que receberam a vacina BCG e não desenvolveram cicatriz vacinal, independentemente do tempo transcorrido após a vacinação. De acordo com OMS, a ausência da cicatriz de BCG após a vacinação não é indicativo de ausência de proteção”, explicou a assessora técnica do Núcleo de Imunizações da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Márcia Mayara.

Vacina
De acordo com o Ministério da Saúde, a principal maneira de prevenir a tuberculose em crianças é por meio da BCG, ofertada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). A dose deve ser dada ao nascer, nas maternidades, ou na primeira visita da criança ao serviço de saúde, o mais precocemente possível. A vacina também está disponível na rotina dos serviços para crianças menores de cinco anos e protege contra as formas mais graves da doença, como a tuberculose miliar e a meníngea.

“A BCG faz parte do calendário de vacinação da criança. O ideal é que a vacina seja administrada nas primeiras 12 horas de vida, ainda na maternidade. Mas, a criança pode ser vacinada até quatro anos, 11 meses e 29 dias”, informou Márcia Mayara.

portalcorreio

Mais um incêndio atingiu o futebol carioca na tarde desta segunda-feira. Após o treino da manhã, os jogadores do Bangu descansavam no alojamento do CDA (Comissão de Desportos da Aeronáutica), localizado em Campo dos Afonsos, na Zona Oeste, quando o quarto começou a pegar fogo. Dois atletas e um soldado da Aeronáutica, que tentou ajudar quando viu as chamas, foram encaminhados para o Hospital da Aeronáutica.

A identidade dos jogadores não foi divulgada. Segundo a assessoria de imprensa do Bangu, os casos não são graves e um deles deve ser liberados ainda nesta segunda, assim como o soldado. O outro jogador foi encaminhado para o CTI por precaução por ter inalado mais fumaça. As causas do incêndio ainda estão sendo investigadas pela Aeronáutica.

A equipe da Zona Oeste vem realizando suas atividades no CDA, que abriga estruturas como o Centro Olímpico de Treinamento da Aeronáutica (COTA) e recebe atletas de vários países.

O Bangu quase se classificou para a semifinal da Taça Guanabara. Com sete pontos ganhos, perdeu a vaga na última rodada na derrota por 3 a 0 para o Resende. Na classificação geral da competição, a equipe aparece na sexta posição.

clickpb

O horário de verão de 2018, que começou no dia 4 de novembro, termina neste domingo (17). Ao término do horário de verão, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem atrasar o relógio em uma hora.

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

Este ano, o horário de verão foi encurtado – começou mais tarde. Antes, ele se iniciava no terceiro domingo de outubro. Em dezembro de 2017, o presidente Michel Temer assinou decreto que encurtou a duração do horário de verão, atendendo a pedido do Tribunal Superior Eleitoral, para que o início do horário de verão não ocorresse entre o primeiro e o segundo turno da eleição.
O Palácio do Planalto chegou a informar em 2018 que, a pedido do Ministério da Educação, a entrada em vigor do horário seria adiada para dia 18 de novembro, a fim de não prejudicar provas do Enem, mas acabou decidindo manter a data de 4 de novembro.

As mudanças na data de início do horário de verão chegaram a causar confusão. No dia 15 de outubro, usuários de telefone celularreclamaram da mudança automática do horário em seus aparelhos para o horário de verão.

No Twitter, muitos consumidores reclamaram ter perdido uma hora de sono em pleno retorno de feriado e cobraram explicações da TIM.

Na semana seguinte, mais clientes de operadoras de celular passaram pela mesma situação, em que os relógios de seus aparelhos foram adiantados de forma automática para o horário de verão. Em São Paulo, alguns relógios de rua também foram adiantados.

Fim do horário de verão

O fim do horário de verão chegou a ser analisado pelo governo Temer, em 2017.

Um estudo do Ministério de Minas Energia apontou queda na efetividade da iniciativa, já que o perfil do consumo de eletricidade não estava mais ligado diretamente ao horário, mas sim à temperatura. Os picos de consumo foram registrados nas horas mais quentes do dia.

O Horário Brasileiro de Verão foi instituído pelo então presidente Getúlio Vargas, pela primeira vez, entre 3 de outubro de 1931 até 31 de março de 1932. Sua adoção foi posteriormente revogada em 1933, tendo sido sucedida por períodos de alternância entre sua aplicação ou não, e também por alterações entre os Estados e as regiões que o adotaram ao longo do tempo.

De acordo com o decreto nº 6.558, de 08 de setembro de 2008, modificado pelo decreto nº 9.242, de 15 de dezembro de 2017, a hora de verão fica instituída no Brasil da seguinte forma:

“Fica instituída a hora de verão, a partir de zero do primeiro domingo do mês de novembro de cada ano, até zero hora do terceiro domingo do mês de fevereiro do ano subsequente, em parte do território nacional, adiantada em sessenta minutos em relação à hora legal. No ano em que houver coincidência entre o domingo previsto para o término da hora de verão e o domingo de carnaval, o encerramento da hora de verão dar-se-á no domingo seguinte. A hora de verão vigorará nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal”.

O horário de verão também é adotado em países como Canadá, Austrália, Groelândia, México, Nova Zelândia, Chile, Paraguai e Uruguai. Por outro lado, Rússia, China e Japão, por exemplo, não implementam esta medida.

G1