O Clube Militar, entidade que reúne oficiais do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, convocou seus sócios para participarem das manifestações a serem promovidas no próximo domingo (26) em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e das reformas propostas por seu governo.

Em texto postado no site da entidade na noite desta segunda-feira (20), o Clube afirma que “tradicionalmente preocupado com os assuntos atinentes ao desenvolvimento da nação brasileira”, a entidade “vem convocar seu quadro social e convidados a participarem das manifestações a serem levadas a efeito em todo o território nacional, apoiando o governo federal na implementação das reformas necessárias à governabilidade. Participe em sua cidade!”, conclui o texto, que tem como título a frase “Brasil acima de tudo”, parte do slogan de campanha de Bolsonaro.

Embora o texto só ofereça informações sobre o protesto previsto para o Rio de Janeiro, cuja concentração deve ocorrer em Copacabana, a partir das 10h, a convocação é para que os sócios que morem em outras cidades também participem das manifestações.

Fundado em 1987 e sediado no Rio de Janeiro, o Clube Militar tem em todo o Brasil cerca de 38 mil sócios, entre oficiais da ativa, da reserva de primeira classe e reformados das forças armadas, além de aspirantes a oficial do Exército e da Aeronáutica e guardas-marinhas.

Capitão reformado do Exército, Bolsonaro se elegeu com apoio dos militares e levou ao governo vários integrantes da classe. A ala ‘ideológica’ liderada por Olavo de Carvalho, no entanto, faz intensas críticas aos militares.

Com informações do Estadão Conteúdo

A partir desta terça-feira (21), a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) inicia o cadastro de comerciantes que queiram trabalhar no Festival de Quadrilhas Juninas e no São João 2019. O cadastro vai ser realizado no Anexo da Sedurb, localizado na Central de Comercialização da Agricultura Familiar (Cecaf), no bairro José Américo. Os interessados devem procurar o local nos horários das 9h às 12h e das 13h às 16h, até a próxima quinta-feira (23).

Ao todo estão sendo disponibilizadas 170 vagas, distribuídas entre caipifrutas, isopor, veículos, barracas lanche, fiteiro, pipoca, espetinho móvel e milho. As inscrições serão encerradas após o preenchimento das vagas. Para se inscrever é necessário ser cadastrado na Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e portar comprovante de residência atualizado (90 dias), certidão negativa de tributos municipais, RG e CPF.

A Secretaria alerta que essas inscrições não serão prorrogadas e que, após o preenchimento das vagas disponíveis, o processo de cadastro será encerrado. “Nós delimitamos essas vagas de acordo com os espaços disponíveis para comércio nesses eventos e pensando, principalmente, na segurança da população”, explicou Zennedy Bezerra, secretário de Desenvolvimento Urbano.

Controle urbano
Todos os comerciantes inscritos vão assinar um termo de compromisso se comprometendo a cumprir todas as regras estipuladas pela Sedurb e deixando claro, dentre outras exigências, que estão cientes que não poderão fazer uso de mesas e cadeiras na via pública. Além disso, os vendedores deverão portar Certificado do Corpo de Bombeiros (aqueles que utilizam gás de cozinha e churrasqueiras) e extintores de incêndio (também certificados pelo Corpo de Bombeiros).

Ordenamento
O sorteio das áreas destinadas aos comerciantes devidamente cadastrados na PMJP será realizado no dia 28 de maio, no auditório da Cecaf, às 9h, de acordo com a modalidade da atividade exercida. A instalação das barracas acontecerá na noite anterior a cada evento, das 20h às 22h. Após esse horário os espaços ficarão à disposição da Sedurb. Lembrando que as barracas devem compreender as dimensões de 3×3 e 4×3 e o desmonte deve ocorrer até as 6h do dia subsequente de cada evento.

portalcorreio

O Campinense anunciou, no fim da noite dessa segunda-feira (20), a contratação do meia Richarlyson, ex-São Paulo. Ele chega como reforço do rubro-negro paraibano para a campanha na Série D do Campeonato Brasileiro. Aos 36 anos, o jogador, que também sabe atuar como lateral esquerdo, traz na bagagem um currículo repleto de títulos e passagens por grandes clubes.

No São Paulo, o atleta teve seu grande momento na carreira, conquistando três Campeonatos Brasileiros (2006, 2007 e 2008) um Mundial de Clubes (2005) e um Paulistão (2005). No Atlético-MG também conquistou uma Libertadores da América (2013) e uma Recopa Sul Americana (2014), além de um bicampeonato estadual. Richarlyson jogou ainda no Atlético-MG, Vitória-BA, Chapecoense-SC e Salzburg (Áustria).

Richarlyson desembarca em Campina Grande na madrugada da próxima quarta-feira (22). Informações sobre a apresentação do atleta à imprensa ainda serão divulgadas pelo Departamento de Comunicação do clube.

portalcorreio

O Google suspendeu negócios com a Huawei que precisam da transferência de produtos de hardware e software, com exceção dos cobertos por licenças de código aberto, de acordo com publicação da agência Reuters do domingo citando uma fonte próxima ao assunto. A decisão foi tomada após o Governo Donald Trump incluir a companhia chinesa em uma lista de empresas proibidas.

Dessa maneira, a Huawei pode estar à beira da maior crise desde que a Administração Trump declarou guerra à empresa, a quem acusa de espionagem. Com a medida, a chinesa perderá acesso às atualizações do sistema operacional Android, com o qual todos os seus smartphones funcionam, e a próxima versão de seus celulares também não terá aplicativos e serviços populares como a loja Google Play Store e o serviço de e-mails Gmail.

Os detalhes dos serviços específicos que serão vetados continuavam sendo discutidos internamente no Google, propriedade da Alphabet Inc, de acordo com as mesmas fontes. Os advogados da Huawei estão avaliando também o impacto das ações do Departamento de Comércio, disse um porta-voz da empresa chinesa na sexta-feira.

A empresa asiática ainda terá acesso à versão do Android disponível através de licenças de código aberto, disponíveis para qualquer um que quiser usá-las. O Google, entretanto, deixará de prestar colaboração e respaldo técnico a Huawei para seus serviços, de acordo com a fonte.

O Governo de Donald Trump incluiu na quinta-feira oficialmente a Huawei em uma lista negra comercial, estabelecendo imediatamente restrições que complicarão muito os negócios do gigante tecnológico com empresas norte-americanas. A Huawei não pôde ser contatada de imediato para comentar a situação. Representantes do Departamento de Comércio também não falaram sobre a informação, segundo a Reuters.

Uma catástrofe sem precedentes
Se o veto do Google se confirmar, será um duro golpe para a Huawei que não terá outro remédio a não ser inventar seu próprio código operacional, já que todos os seus celulares hoje funcionam sob o sistema operacional Android da multinacional norte-americana. O Android representa 85% do mercado mundial de sistemas operacionais e quase todo o restante está em poder do iOS da Apple. Na Espanha, o domínio é ainda maior, já que está instalado em 9 de cada 10 celulares espanhóis e em 8 de cada 10 celulares europeus.

Mesmo se puder criar do nada um novo sistema operacional, o fabricante chinês teria muitas dificuldades em convencer seus potenciais compradores, porque além disso ficariam sem aplicativos. 70% dos downloads de aplicativos são feitos na loja online Google Play Store, e 22,6% pela Apple Store.

O veto do Google também pode acabar com as ambições da Huawei de ser o maior vendedor de smartphones do mundo. Apesar do boicote norte-americano aos seus aparelhos, 2018 foi definitivamente o ano da Huawei. A empresa chinesa vendeu 202,9 milhões de celulares em todo o mundo, graças um aumento espetacular de suas vendas de 34,8%. Mesmo que apesar desse aumento continue na terceira colocação como fabricante mundial de celulares, está nos calcanhares da Apple para tomar o segundo lugar, e ainda está longe da Samsung, que lidera o pódio.

A medida terá fortes repercussões na Espanha onde a empresa chinesa é um gigante das telecomunicações apesar de ter chegado no país em 2001. De fato, é o único fabricante que está presente tanto na infraestrutura de redes como nos celulares. E não é uma presença qualquer. A empresa chinesa se consolidou como o primeiro provedor de redes tanto de banda larga fixa (fibra e ADSL) como móvel (4G) e trabalha com todos os operadores nacionais de telecomunicações (Telefónica, Vodafone, Orange e MásMóvil).

Paralelamente, se consolidou como o segundo vendedor de smartphones na Espanha, posição que ocupa desde maio de 2015, atrás somente da Samsung e ultrapassando a Apple. Atualmente, quase um de cada três celulares vendidos na Espanha é da Huawei, que possui uma cota de mercado de 28%. Desde que em 2010 começou a comercialização de celulares inteligentes sob o sistema operacional Android, perdeu a imagem de fabricante de celulares chineses e baratos e conseguiu colocar seus aparelhos entre os mais avançados do mundo, disputando a liderança de última geração tanto com a Apple como com a Samsung.

Ordem de Trump
O presidente Trump declarou na quarta-feira uma emergência nacional para proteger as redes de telecomunicações norte-americanas, através de uma ordem executiva que dá poderes ao Governo federal para proibir empresas de contratarem provedores estrangeiros. A medida, que de fato constitui uma barreira à empresa chinesa Huawei, ainda que não a mencione, significa uma nova escalada na guerra comercial com o gigante asiático.

A ordem executiva dirigida ao secretário de Comércio, que deverá elaborar um plano para que seja colocada em prática, invoca uma lei que confere ao presidente a autoridade de regular o comércio em resposta a uma emergência nacional que ameace os Estados Unidos. É justificada no suposto aproveitamento das vulnerabilidades da tecnologia de telecomunicações norte-americana por parte de adversários estrangeiros, e aponta a espionagem industrial como particularmente preocupante. A medida, que era especulada há meses, significa um novo recrudescimento na guerra comercial e de segurança com a China e constitui a mais contundente ofensiva até agora contra seu setor tecnológico.

brasil.elpais.com

Segundo Instagram stories mais visualizado no mundo, apenas atrás da influencer Kim Kardashian, o alagoano Carlinhos Maia se tornou o primeiro contratado pela rede social no planeta.

O humorista vai comandar um talk show, que vai ser lançado nesta quinta-feira (16). O novo projeto ficará disponível no IGTV, uma plataforma de vídeos com longa duração inclusa no próprio aplicativo.

De acordo com a Caras, para o primeiro episódio do programa, Carlinhos vai receber o ator mexicano Édgar Vivar, que viveu o icônico Senhor Barriga no seriado “Chaves”. Com 14 milhões de seguidores, Maia vai receber o dinheiro do novo contrato em dólar.

Bahia Notícias

Cerca de 3 mil casos prováveis de dengue já foram notificados, este ano, na Paraíba, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PB). O número é 20% maior que as notificações registradas em 2018. Segundo a responsável pelo setor de arboviroses do Núcleo de Doenças Transmissíveis Agudas da SES-PB, Fernanda Vieira, “a Paraíba está em estado de alerta”.

As informações foram apresentadas, na manhã desta segunda-feira (20), durante uma reunião promovida pelas Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde e da Defesa do Patrimônio Social da Capital, com diversos órgãos para discutir estratégias de combate e prevenção ao mosquito ‘Aedes aegypti’, responsável por transmitir além da dengue (tipos I, II, III e IV), mais duas doenças graves: o zika vírus e chikungunya.

A reunião aconteceu no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça, em João Pessoa, e foi presidida pelos promotores de Justiça Jovana Tabosa e João Geraldo Barbosa. Ela integra o procedimento administrativo instaurado na Promotoria da Saúde da Capital para apurar o aumento dos casos de dengue no município. “No Brasil, temos visto um aumento muito grande no número de casos de dengue, chicungunya e zika vírus e, na Paraíba, temos visto que as condições climáticas estão muito favoráveis à proliferação do mosquito que é o vetor dessas doenças. Isso requer medidas do poder público e também a sensibilização e a educação da população sobre o assunto”, disse Jovana.

Participaram da reunião representantes das Secretarias Municipais de Infraestrutura, Saúde, a Empresa de Limpeza Urbana da Capital (Emlur), a SES-PB, Corpo de Bombeiros, Companhia de Abastecimento de Água e Esgoto (Cagepa), da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), da Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), da Associação de Catadores, entre outros órgãos e entidades.

A SES-PB informou que já está fazendo uma interlocução com o Conselho Regional de Medicina (CRM-PB) sobre ações e medidas que podem ser adotadas em relação ao problema e disse que vai adotar a mesma medida em relação ao Conselho Regional de Enfermagem (Coren).

Palestras

Durante a audiência foram ministradas duas palestras. Na primeira, o coordenador do Centro de Zoonoses de João Pessoa, Newton Guedes, falou sobre os fatores que facilitam o surgimento de pragas e vetores de doenças (como a abundância de água, no caso do Aedes aegypti); sobre o ciclo de vida do mosquito; métodos de controle e ações preventivas realizadas no município, inclusive em parceria com outros setores e órgãos, como o Creci e a Cagepa, por exemplo.

Ele explicou que a única forma de controle para prevenir a dengue, a chicungunya e o zika vírus é a vetorial e isso exige, além de medidas e ações do poder público, uma mudança de comportamento e a educação ambiental de todas as pessoas para evitar o surgimento de criadouros do mosquito. “Algumas das medidas que as pessoas devem adotar é a limpeza de calhas e a higienização das caixas d´água periodicamente”, exemplificou.

Disse ainda que há uma parceria com o Creci para que os agentes ambientais possam fazer inspeções em busca de focos e criadouros do mosquito, em imóveis que estão à venda ou para alugar. Falou ainda das dificuldades enfrentadas em relação aos terrenos baldios e aos imóveis localizados no Centro de João Pessoa, que foram tombados pelo Patrimônio Histórico que estão abandonados.

De acordo com os representantes da Prefeitura, em todos esses casos, por se tratarem de propriedades privadas, cabe aos donos adotarem as providências necessárias e multas estão sendo aplicadas, quando há a omissão do proprietário. O promotor de Justiça João Geraldo, que atua na defesa do patrimônio histórico e artístico e na área do urbanismo, também informou que o Iphaep já foi provocado a adotar medidas em relação ao problema.

A segunda palestra foi ministrada pela representante da SES-PB, Fernanda Vieira. Ela apresentou dados estatísticos sobre a dengue, a chicungunya e o zika vírus no país e na Paraíba. Falou dos protocolos para a notificação dos casos suspeitos, confirmados e óbitos. Segundo os dados apresentados por ela, em todo o país, já foram notificados 451 mil casos prováveis de dengue, apenas nas primeiras 15 semanas do ano. O número é quatro vezes maior do que o registrado no mesmo período de 2018.

De janeiro até agora, 123 pessoas morreram de dengue e três, de chikungunya. Na Paraíba, dois óbitos estão sendo investigados, um por suspeita de dengue e outro, de chikungunya. “Estamos em estado de alerta total. Precisamos ‘vestir a camisa’, como fizemos em 2016, em que toda a sociedade se conscientizou e adotou medidas para combater o mosquito”, disse.

Entre 2016 e 2017, houve uma redução de 89% nos casos de dengue notificados na Paraíba, passando de 44.532 para 4.692.

 

 

paraiba