Bloqueira paraibana GKAY fica em choque ao passar por situação dramática

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Em pleno Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, a influenciadora digital Gessica Kayane, mais conhecida como G. Kay, entrou em desespero nesta sexta-feira (6) ao descobrir que um rapaz cometeu suicídio no prédio onde ela mora, localizado na Grande São Paulo. A blogueira conversava com seguidores por meio do story quando notou uma movimentação estranha e foi ver do que se tratava e levou um susto.

Curiosa, a blogueira e atriz procurou saber o motivo, chegando a brincar com a série futurista ‘Black Mirror’, da Netflix, quando pouco tempo depois surgiu aos prantos, chorando, relatando que um vizinho do oitavo andar cometeu suicídio.

“Não sei como eu conto isso pra vocês, mas um cara acabou de se jogar aqui do meu prédio. Gente, eu não sei, de verdade… Quando eu olhei pra baixo, eu pensei que era um acidente, e eu liguei agora pra portaria para confirmar e eu não sei o que dizer pra você”, disse, emocionada.

Visivelmente abalada, ela relatou que, coincidentemente, iria publicar textos motivadores acerca da campanha do ‘Setembro Amarelo’, que enfatiza sobre a prevenção do suicídio que têm afetado cada vez mais adultos e principalmente jovens ao redor do país. “Eu tô muito chocada, porquê eu ia postar um negócio do setembro amarelo hoje, que era um perfil que tinha várias frases para ajudar pessoas, e gente… Pelo amor de Deus, em pleno setembro amarelo”, implorou.

“Gente, por favor, conversem com as pessoas, porque não são estatísticas, é real. Tô toda me tremendo aqui, porquê não é brincadeira, é real isso que tá acontecendo com o mundo. É real gente, as pessoas não estão bem, e por favor, as pessoas estão precisando de ajuda. Eu nunca pesei que ia presenciar uma coisa dessas na minha vida”, explicou, desesperada.

Prevenção ao suicídio

Ligações para o Centro de Valorização da Vida (CVV), que auxilia na prevenção do suicídio, passaram a ser gratuitas em todo o país em julho do ano passado. Um acordo de cooperação técnica com o Ministério da Saúde, assinado em 2017, permitiu o acesso gratuito ao serviço, prestado pelo telefone 188.

Por meio do número, pessoas que sofrem de ansiedade, depressão ou que correm risco de cometer suicídio conversam com voluntários da instituição e são aconselhados. Antes, o serviço era cobrado e prestado por meio do 141.

A ligação gratuita para o CVV começou a ser implantada em Santa Maria (RS), há quatro anos, após o incêndio na boate Kiss, que matou 242 jovens. O centro existe há 55 anos e tem mais de 2 mil voluntários atuando na prevenção ao suicídio. A assistência também é prestada pessoalmente, por e-mail ou chat.

portaldolitoralpb.com.br