Comida do futuro: veja seis tecnologias usadas em alimentos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

A tecnologia evoluiu e promete revolucionar até a maneira como a comida é feita. O uso de robôs e de soluções com impressoras 3D aparecem como alternativas inteligentes para a gastronomia e têm como objetivo o lucro de restaurantes. Além disso, a modernidade pode promover uma maior economia de recursos no preparo das refeições.

A seguir, o TechTudo apresenta seis soluções para o futuro da gastronomia, incluindo a iniciativa de uma empresa brasileira que promete revolucionar a maneira como você pede comida em um restaurante Fast Food. As soluções inovadoras envolvem até impressoras, que podem deixar uma xícara de café “tech”.

Fast Food 100% autônomo
BIONICOOK, uma empresa de Caxias do Sul (RS), desenvolveu um modelo de negócios em que o diferencial é oferecer lanches de Fast Food sem a necessidade de nenhum funcionário humano. Os robôs são capazes de fazer todo o atendimento, assim como permitem que a empresa planeje abrir novos estabelecimentos, no modelo de franquias.

Cada quiosque da empresa oferece bebidas e lanches de forma automatizada e o atendimento pode funcionar por 24h. As opções do cardápio vão desde lanches e salgados fritos, até sobremesas e bebidas quente ou frias, que ficam prontas em poucos minutos.

Robô que faz hambúrguer
Uma startup de San Francisco utilizou uma dinâmica similar ao das linhas de montagens de carros para criar um robô capaz de montar lanches com perfeição. O nome do restaurante é Creator, e o projeto é apoiado pela Alphabet, instituição que faz parte de um grupo de donos de diversas empresas, entre elas o Google.

O restaurante garante que em menos de cinco minutos o robô é capaz de montar lanches mais complexos, que podem até ter cobertura de sobremesas e adição de temperos na medida correta e indicada pelo cliente. Além de ser um restaurante inteligente, o uso de robôs consegue também gerar lucro e evitar o desperdício de alimentos.

A startup francesa Ekim desenvolveu Pazzi, um robô com três braços que é capaz de produzir até 120 pizzas em uma hora. Ensinado por um chef cinco estrelas, a empresa garante que as pizzas feitas pelo robô são de alta qualidade.

Pazzi teve seu desenvolvimento iniciado em uma garagem no norte da França e atraiu investidores depois de participar de uma feira de tecnologia e inovação que acontece anualmente em Paris. Segundo a fabricante, o robô consegue ser até três vezes mais rápido que um pizzaiolo humano, chegando a fazer uma pizza a cada 30 segundos.

Robô Bartender
Um projeto de bar autônomo, desenvolvido por startups em parceria com o MIT, possibilitou a criação do Makr Shakr, bar que possibilita que o usuário solicite uma das bebidas do cardápio ou escolha cada ingrediente para que o robô atendente prepare o drink.

Por meio de um aplicativo para dispositivos móveis, o usuário pode solicitar uma das bebidas predefinidas ou montar seu próprio drink, de acordo com as opções do cardápio. O robô exibe em uma tela as bebidas mais solicitadas e é capaz também de recusar pedidos de usuários que tenham passado do ponto. O projeto itinerante participa de várias convenções e eventos, inclusive do Google I/O, que acontece em São Francisco nos Estados Unidos.

Máquina de fazer cerveja
As cervejas artesanais estão em alta e por isso a LG desenvolveu uma máquina que permite que o usuário produza sua própria cerveja em casa, com um funcionamento que lembra o de máquinas de café que utilizam cápsulas.

A LG HomeBrew utiliza as cápsulas e um algoritmo de fermentação que faz com que os usuários possam produzir até cinco tipos diferentes de cerveja. A novidade foi apresentada na CES 2019, e ainda não possui um preço oficial ou data de lançamento.

Impressora 3D de comida
A impressão 3D também é uma tecnologia que foi adaptada para a gastronomia. Alguns modelos de impressoras que produzem alimentos já estão disponíveis no mercado, e nelas é possível criar pratos mais sofisticados.

No mercado, já existem impressoras capazes de produzir massas e também já é possível usá-las para criar esculturas de chocolate. O preço médio de uma impressora de alimentos fica na casa dos R$ 20.000, sem considerar os impostos de importação dos equipamentos.

Impressão 3D no café
A 3D Coffee Ripples é uma impressora capaz de personalizar a espuma de cafés expressos, inserindo fotos, frases ou desenhos de acordo com a criatividade do usuário. O funcionamento é similar ao de uma máquina de café convencional, mas após posicionar uma caneca, é preciso selecionar um dos padrões de desenhos ou imagens, que será “revelado” na bebida.

O usuário pode controlar a cafeteira do futuro por um aplicativo, disponível para Android e iOS e, a a partir dele, é possível enviar para a máquina as imagens que podem ser impressas no café. A 3D Coffee Ripples utiliza cápsulas próprias e funciona por meio de um serviço de assinatura mensal, que custa US$ 100 (R$ 405,79 em conversão direta) mais o custo de aquisição do equipamento de US$1.500 (R$6.087 em conversão direta).

Via BusinessInsider.