DOMÍNIO DIGITAL DE INFLUENCIADORES MIRINS PODE TER REFLEXOS NEGATIVOS

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O Jornal CORREIO mostrou, em reportagem especial publicada nesse domingo (25), que as crianças, mesmo ainda muito pequenas, dominam com maestria os conteúdos digitais, colocando em prática uma criatividade impressionante no universo tecnológico. São ‘estrelas’ mirins, atuando como influenciadoras digitais inspiradas nos perfis que seguem nas redes sociais. Por enquanto, produzir e postar conteúdos para elas é pura diversão, mas especialistas afirmam que, mais do que lazer, a brincadeira pode se tornar, inclusive, profissão.

Mas como tudo tem um lado negativo, esse ‘domínio’ que os influenciadores digitais, youtubers e blogueiros sobre mentes ainda em desenvolvimento exige controle rígido dos pais para não se tornar prejudicial. Quando ultrapassa a barreira do entretenimento, o risco de se transformar em um problema sério é real. O CORREIO Online conversou com psicólogos que revelaram os problemas que podem ser ocasionados por essa ‘brincadeira’.

A influência de mídias, das novelas, dos coleguinhas da escola, o efeito dominó que o bullying pode causar se torna, nesse caso, um comportamento de autocobrança excessivo em decorrência do que blogueiras, youtubers podem apresentar. Esses impactos, segundo a psicóloga Danielle Azevedo, vão depender também da idade e da limitação que os pais estão impondo.

“Alguns pacientes podem desenvolver transtornos de ansiedade por esse excesso de autocobrança. Então, eu acho que o ponto de alerta começa quando há essa mudança de rotina, quando a criança ou adolescente está ficando muito preso a uma ferramenta digital, deixa de ter os compromissos de rotina para permanecer nessa atividade”.

E aí, segundo ela, cabe mais diálogo e imposição de limites por parte dos pais. A família deve estar junto em qualquer circunstância. Se não há pessoas para supervisionar esse tipo de comportamento, acaba ficando mais difícil. “Por mais que os pais estejam ausentes, trabalhando, mas que tenham pessoas que sejam responsáveis por esses jovens. E isso a gente pode fazer até através do telefone, mesmo à distância. Cabe aí a questão de obediência, de aceitação das regras e imposição de limites adequadas dentro do lar”, orientou.

“MINHA INFLUÊNCIA É DO BEM”

Youtubers, influencers, blogueiros, em sua maioria mulheres, envolvem com entretenimento, criatividade, informam de maneira atraente para crianças e adolescentes que vivem no mundo digital. Sabedoras da responsabilidade que têm, elas garantem que procuram ser moderadas, produzindo conteúdos claros e que não influenciem de forma equivocada.

“É muita responsabilidade. Conseguimos ter acesso a diversas faixas etárias, e os conteúdos são pensados antes para não passar uma informação errada, para não atingir uma faixa etária que não é nosso público. Não temos uma certeza real, porque sabemos que muitas crianças têm acesso, mas embora nosso conteúdo seja voltado ao público adulto, temos o cuidado de não postar conteúdo impróprio. Não incluímos palavrão, nem incentivamos a bebida”, explicou a influenciadora digital, Diene Toscano.

As publicações da influencer são direcionadas ao público consumidor que quer saber as novidades no mercado. “Porém, sempre acabo passando por universos pelos quais crianças e adolescentes estão cada vez mais apaixonadas como maquiagem, tutoriais, linhas de maquiagens de youtubers”, observou.

No entanto, ao mesmo tempo em que tem consciência da influência que exerce nos pequenos, ela procura ser realista. “Hoje em dia, principalmente no Instagram, as pessoas acreditam que tudo é muito perfeito, que a pessoa é super magra, que não tem celulite. Eu tento evitar isso. Mostro meu dia a dia, o que realmente como, minha realidade. As pessoas fantasiam que, por ser digital influencer, temos uma vida perfeita, mas aí eu mostro até o ovo com cuscuz que como pela manhã. Acho que é um grande diferencial, mostrar a realidade sem tabu”, afirmou.

Embora dê muitas dicas de roupas, Diene evita modelos sensuais. “Eu, como pessoa, não uso roupa muito curta e não sinto rejeição no meu estilo de vestir. Dou dicas desde o macacão ao shortinho. A gente nunca induz ninguém a fazer errado. Damos dicas legais de comportamento, de estudo, e isso agrega”, enfatizou. “Me policio muito para não ser uma má influência. Minha influência é do bem, dou dicas de compra que vão desde a modinha de dez reais até as mais caras. Sei que se o adolescente não for bem orientado, acaba gerando uma crise financeira, mas isso cabe aos pais segurar”, observou.

“O MUNDO ONLINE NÃO É O RETRATO DO MUNDO REAL”

O público da digital influencer Ceicinha Figueiredo é feminino, com idade entre 25 e 40 anos, mas ela sabe que tem muitos seguidores adolescentes e crianças. “Isso me preocupa, porque são indivíduos que estão construindo sua personalidade e, no mundo, muitas vezes de ilusão das redes sociais, isso pode gerar frustração”, declarou.

“Como influenciadora, entendo que nosso papel pode criar um diferencial na vida de muitas pessoas, principalmente na dos jovens, que estão sempre conectados. Particularmente, procuro mostrar que moda não é descartável, que o mundo online não é exatamente o retrato do mundo real e que nossa verdade e valores são muito mais importantes do que qualquer padrão imposto pelas mídias sociais”, explicou.

Para Ceicinha, como em todas as profissões, é determinante ter responsabilidade e valor. Daí o cuidado que tem ao dar sua opinião sobre assuntos e abordagens específicas, para não se equivocar dentro de áreas que não domina. “Quem pode falar com clareza sobre dieta é um nutricionista, sobre saúde, um médico e daí por diante. Levamos entretenimento e conteúdo, mas de forma pessoal e particular. E em alguns pontos o que pode servir pra mim, não serve para outras pessoas”, observou.

Ela acrescentou que não dá destaque à sensualidade em seu trabalho. Às vezes um decote, ou uma roupa mais justa. “Mas, sempre de forma muito natural, que não acredito ficar apelativo nesse sentido. Procuro sempre mostrar que a felicidade está na simplicidade, no bom humor, na forma leve como tratamos a vida”, frisou.

Outro ponto de seu trabalho que ela destaca como positivo nesse aspecto são as dicas de leitura. Como ama leitura, busca incentivar os seguidores. “Faço tudo com atenção e cuidado justamente para evitar um entendimento equivocado do meu trabalho”, concluiu.