Em apresentação oficial no Milan, Lucas Paquetá diz que espera seguir passos de Kaká

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Lucas Paquetá foi apresentado oficialmente nesta terça-feira na Casa Milan. Foram cerca de 40 minutos de entrevista coletiva, mas logo nas primeiras perguntas o meia ouviu uma palavra bastante comum quando se fala de brasileiros no clube rossonero: Kaká. A revelação do Flamengo, negociada por 35 milhões de euros, disse que espera seguir os passos do melhor do mundo em 2007.

– O Kaká é um grande jogador, o meu ídolo. Vi os seus jogos no Milan, sei de sua história, foi o melhor do mundo. Espero poder seguir o que ele fez e construir a minha história aqui com títulos – disse, em português, enquanto ainda está aprendendo o italiano.

– Eu joguei com o Kaká há alguns dias (no Jogo das Estrelas de Zico). Ele me disse que eu iria encontrar um clube como uma família e vou tentar seguir os conselhos que me deu – completou em outra oportunidade.

Também presente na coletiva – assim como o ídolo Paolo Maldini (diretor de desenvolvimento e estratégia esportiva) e Paolo Scaroni (presidente) -, Leonardo (diretor esportivo) tratou de acalmar logo possíveis comparações que viessem a surgir:

– O Milan tem uma grande história com jogadores brasileiros. A expectativa é alta e compreensível. O talento existe, mas não façamos comparações com Kaká. São situações diferentes. Ricardo chegou num Milan vencedor e com tantos campeões, agora a equipe e a empresa estão em construção, então para avaliarmos teremos que levar em conta todos esses aspectos. Mas o talento está lá.

O novo camisa 39 (escolheu o mesmo número que começou no Flamengo) rossonero encheu a bola do clube ao revelar a primeira palavra que o convenceu a assinar contrato até junho de 2023:

– “Milan”. Quando um clube com esta história me chamou eu fiquei muito feliz. Eles me presentearam com um importante projeto e com profissionais importantes. Conversei com a família e decidimos que o Milan era o lugar certo para mim.

E quando vai ser a estreia?

Paquetá tem treinado desde o fim do Brasileiro e deve ter condições de jogar alguns minutos no sábado, em partida contra a Sampdoria, pela Copa da Itália.

Na outra quarta-feira, dia 16, há uma oportunidade de ouro contra a Juventus, pela Supercopa. Houve uma curiosidade na imprensa sobre qual seria a preferência do jogador, famoso por sua polivalência, uma vez que atuou em diversas funções pelo Flamengo. Ele deu sua opinião:

– Fico à vontade como meio-campista. No Flamengo eu estava jogando mais à frente, mas sou versátil e minha meta é ajudar o time. Toda partida é importante quando você veste vermelho e preto. Minha ideia é jogar na frente, jogar um futebol ofensivo com o time.

– Sou um jogador técnico que sempre tenta entender como funciona o jogo e como se desenvolve. Acho que tenho um bom físico e estou trabalhando muito com e sem a bola, pois na Itália é muito importante. Eu quero criar chances e finalizar a gol – descreveu.

Paquetá, porém, está ciente dos desafios que o aguardam numa liga bem diferente do Brasileiro.

– Vi muitos jogos da Série A. É um futebol muito físico e tático, diferente do brasileiro. Eu vou estar atento a todos os detalhes que vão me ensinar a melhorar e dar em campo o melhor de mim para ganhar.

– Preciso me ambientar o mais rápido possível ao futebol italiano e me entrosar com os companheiros. Desde criança, sempre tentei jogar em posições diferentes. Quero dar meu melhor para o time.

G1