Insuficiência cardíaca mata mais que câncer; como evitar

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Você já ouviu falar sobre insuficiência cardíaca? Se não, muita atenção, pois essa doença não tem cura e mata mais dos que os cânceres de mama ou próstata no Brasil. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos, 62% da população desconhecem a doença. Mas o que é a insuficiência cardíaca, então? A médica do Ortotrauma, Karenina Lemos, responde.

Segundo Karenina, a insuficiência cardíaca é a incapacidade do coração bombear sangue corretamente para os órgãos do corpo humano. Ela disse que a doença pode ser causada devido ao estilo de vida da pessoa ou ser congênita. “Algumas pessoas já nascem com ma cardiopatia, por exemplo, já outras adquirem por conta do estilo de vida que levam, como sedentarismo e tabagismo”, afirmou.

Karenina alertou para o fato de muitas vezes o paciente já ter a doença, mas não apresentar os sintomas. Ela disse que no geral quem possui insuficiência cardíaca se queixa de cansaço, que começa para os grandes esforços até progredir para o cansaço no repouso. “É um cansaço progressivo, que inicia nos grandes esforços, passa pelos pequenos esforços e deixa o paciente totalmente incapacitado, a ponto de apresentar cansaço até mesmo no repouso”, observou.

Insuficiência é mais incidente em homens
De acordo com Karenina Lemos, apesar de a insuficiência atingir uma grande parcela do público feminino, os homens são os que mais sofrem com a doença.

Ela lembrou que a falta de cuidado com a própria saúde, maus hábitos alimentares, sedentarismo e o tabagismo são os grandes responsáveis pela incidência da doença no universo masculino. “Hoje a insuficiência atinge muitas mulheres, mas o número de homens com a enfermidade é maior”, disse.

Não tem cura e mata mais do que câncer
Levantamento feito pela pesquisa demonstra que a insuficiência cardíaca provoca de duas a três vezes mais mortes do que doenças como o câncer de mama, por exemplo. A falta de informação é um dos agravantes para esta realidade.

Outra causa se deve ao fato de a insuficiência cardíaca muitas vezes ser confundida com a hipertensão arterial, que possui praticamente os mesmos sintomas.

Karenina Lemos disse que só no mês de setembro, apesar de o Ortotrauma não ser um hospital referência para o tratamento de doenças do coração, como o Santa Isabel, registrou o internamento de 70 pacientes com sintomas de insuficiência cardíaca, enquanto que 23 pessoas deram entrada com quadro de hipertensão.

Custos com a doença
Segundo a pesquisa do Ipsos, a enfermidade também tem um peso importante e crescente na saúde, gerando uma perda de R$ 22 bilhões na economia brasileira, por custos no sistema de saúde pública e redução de produtividade.

Inovação no tratamento
A insuficiência cardíaca é uma doença crônica que conta com tratamentos eficazes e disponíveis no Brasil. As últimas tecnologias em medicamentos permitem aumento significativo na qualidade de vida dos pacientes. No fim de 2017, chegou ao país uma nova forma de tratamento, um inibidor do receptor da angiotensina e neprilisina (INRA), que possibilita a melhora na qualidade de vida dos pacientes. O tratamento INRA reduz o risco de morte por causa cardiovascular em 20%, diminui as hospitalizações em 21% e, ainda, reduz o risco de morte por todas as causas em 16%, em comparação ao tratamento padrão anterior – enalapril.

 

 

portalcorreio