Mancha escura na praia do Cabo Branco não é poluição

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Após abordagem do Portal Correio, o Ministério Público Federal na Paraíba (MPF-PB) solicitou à Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) que investigasse o que provocou o aparecimento de uma mancha escura na praia do Cabo Branco, na terça-feira (7), em João Pessoa. Conforme relatório da Sudema, ficou constatado que se tratava de alta concentração de algas marinhas, também chamadas de ‘sargaço’.

O MPF emitiu um ofício para a Sudema, nessa quarta-feira (8), solicitando que fosse feita a análise físico-química e bacteriológica da água no local indicado na praia, conforme vídeo publicado no Portal Correio.

Em resposta, a Sudema fez uma vistoria na orla do Cabo Branco e não constatou nesta quinta-feira (9) nenhum tipo de contaminação na água.

“Foi verificado que a mancha é decorrente da alta concentração de algas marinhas (sargaço), presente no local, evento que ocorre naturalmente com o período chuvoso, quando a proliferação de algas é recorrente”, diz o relatório técnico da Sudema sobre o caso.

A mancha escura foi vista durante a manhã chuvosa de terça-feira, em João Pessoa, e registrada por um internauta em vídeo. As imagens foram compartilhadas nas redes sociais e assustaram quem frequenta a praia do Cabo Branco.