Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Morre Maurício Sherman, diretor da Globo e criador do ‘Fantástico’

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Pioneiro na televisão brasileira, o ator, diretor e produtor Maurício Sherman morreu na manhã desta quinta-feira, 17, aos 88 anos, em sua casa, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Sherman descobriu sucessos da TV, como Xuxa e Angélica. Em diversas passagens pela Globo, ajudou a criar o Fantástico e dirigiu programas de humor, como Faça Humor, Não Faça Guerra, Os Trapalhões e os de Chico Anysio.

Informações sobre velório e enterro ainda não foram divulgadas pela família do diretor.

Trajetória
Maurício começou sua carreira em 1949, quando foi convidado a trabalhar na Rádio Guanabara pelo ator Paulo Renato, diretor da emissora. Participou de projetos ao lado de Chico Anysio, Fernanda Montenegro, Nathalia Timberg, Jayme Barcellos, Fernando Torres e Elizeth Cardoso.

Em 1954, passou a trabalhar na TV Tupi do Rio de Janeiro, onde ficaria por dez anos. Durante este período, atuou no Sítio do Picapau Amarelo, nas Fábulas Animadas (com Júlio Gouvêa) e dirigiu um teleteatro com Heloísa Helena.

Começou sua longa carreira na TV Globo em 1965. Seu primeiro trabalho na emissora foi a direção do Espetáculo Tonelux, programa apresentado por Marília Pêra, Gracindo Jr., Riva Blanche e Paulo Araújo. O musical era gravado ao vivo no auditório da Globo, com a presença de cantores da Jovem Guarda e uma orquestra.

Deixou a emissora três anos depois, em 1968, quando o programa que então dirigia, Noite de Gala, passou a ser exibido na TV Excelsior. Convidado a trabalhar na TV Tupi para comandar uma equipe de criação, Maurício ficou lá até 1972. A boa relação com TV Globo o fez voltar em 1972 para dirigir o programa humorístico Faça Humor, Não Faça Guerra, com Jô Soares.

Em 1973 ajudou a criar o programa semanal Fantástico e foi um dos diretores da atração por três anos. No mesmo ano, dirigiu também o Moacyr Franco Show até 1977. Permaneceu fora da emissora durante quatro anos e voltou em 1981 para dirigir os programas humorísticos de maior sucesso da época: Chico Anysio Show e Os Trapalhões.

Em 1983, na recém-inaugurada TV Manchete, lançou duas das maiores estrelas da TV brasileira dos anos 80: Angélica e Xuxa. Ele dirigiu os programas infantis apresentados por elas.

Maurício Sherman volta à Globo em 1988, como diretor executivo da Central Globo de Produção. Nos doze anos seguintes, desempenhou várias funções: foi diretor de núcleo do horário das 18h; diretor do musical Globo de Ouro; diretor artístico do Fantástico; diretor do departamento de Projetos Especiais e diretor da área de controle de qualidade.

Ele ainda foi o responsável por transformar o Vídeo Show em um programa diário. Dirigiu, de 1999 a 2015, o humorístico Zorra Total, um de seus últimos trabalhos na TV. Em 2001, foi diretor do Domingão do Faustão.

veja