Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

MPPB apresenta proposta para orçamento de 2020, em audiência promovida pela ALPB

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) participou, nesta quarta-feira (22), da audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa (ALPB) para debater o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2020. Na ocasião, o procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico, expôs as dificuldades enfrentadas pela instituição ministerial e apresentou uma proposta para que haja recomposição orçamentária. O prazo para os deputados apresentarem emendas à LDO vai até a próxima segunda-feira (27). A matéria deverá ser votada em plenário até junho.

A audiência foi promovida pela Comissão de Acompanhamento e Controle da Execução Orçamentária no plenário da ALPB. Os trabalhos foram abertos pelo presidente da comissão, o deputado Wilson Filho. Além do chefe do MPPB, participaram representantes do Tribunal de Justiça da Paraíba, Tribunal de Contas e Defensoria Pública do Estado, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), de entidades, associações, sindicatos e outras instituições representativas, que têm interesse na construção da proposta orçamentária, além do secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, Gilmar Martins de Carvalho.

O procurador-geral de Justiça destacou que o orçamento do MPPB está congelado há mais de três anos e que isso tem gerado grandes dificuldades. Ele informou também que a proposta orçamentária para 2020, apresentada pelo Governo do Estado, foi o orçamento 2019 suplementado, mais o IPCA do período de julho de 2018 a julho de 2019. “Viemos expor a necessidade de um parâmetro de correção do orçamento do MPPB e propor a correção de, pelo menos, dois IPCAs (referentes aos índices da inflação acumulada entre julho de 2017 a junho de 2019), para minimizar a perda que sofremos ao longo dos anos. Isso é fundamental para que possamos, dentro de nossa instituição, manter o funcionamento regular com a nomeação de membros, a continuidade de nomeação de servidores, a melhoria das estruturas para atender de forma mais qualificada a sociedade”, argumentou.

Seráphico agradeceu a oportunidade dada pela ALPB e avaliou positivamente a audiência pública. “A audiência foi muito proveitosa, com a participação de todos os poderes e instituições para que pudéssemos debater de forma transparente esse cenário orçamentário. Esperamos que o poder legislativo, nesse debate que vai haver entre os deputados, possa atender a essa demanda institucional. Acredito também que a gente vai chegar a um denominador comum, inclusive, com o próprio Estado, que tem dialogado com as instituições na Comissão Interpoderes, e esperamos chegar e alcançar esse consenso para a aprovação da LDO”, falou.

A LDO

A LDO é o instrumento utilizado pelo poder executivo para estabelecer metas e prioridades em suas principais diretrizes da administração pública, em relação aos programas que o governo pretende executar no exercício seguinte, principalmente para a elaboração do orçamento. Ela antecede e orienta a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA).
Conforme informou a ALPB, o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias para a elaboração do orçamento de 2020, encaminhado pelo Executivo para a Assembleia Legislativa, prevê uma despesa corrente de R$ 11,2 bilhões.
A audiência pública realizada nesta quarta-feira é uma exigência legal. Após a apresentação das emendas parlamentares que devem ser feitas até segunda-feira (27), será aberto o prazo para apreciação do parecer definitivo da LDO, que compreenderá o período de 28 de maio a 17 de junho. A votação da matéria em plenário deve acontecer até o dia 19 de junho.

Assessoria