Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Paulo Guedes confirma Roberto Castello Branco como futuro presidente da Petrobras

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O economista Roberto Castello Branco foi convidado pela equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para presidir a Petrobras.

A informação sobre o convite foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo e confirmada na manhã desta segunda-feira (19) pela assessoria de imprensa do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. Em nota, Guedes informa que recomendou a Bolsonaro a indicação de Castello Branco, que aceitou o convite.

O atual presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, permanece no comando da estatal até a nomeação do novo presidente.

Roberto da Cunha Castello Branco é professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), tem pós-doutorado pela Universidade de Chicago e é ex-diretor do Banco Central e da Vale.

Em 2015 e 2016, durante o governo de Dilma Rousseff, foi indicado pela ex-presidente para ser membro do conselho administrativo da Petrobras. Atualmente é diretor no Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da Fundação Getúlio Vargas.

A Reuters, em junho de 2016, após sair do conselho da Petrobras chegou a afirmar que a intervenção do Estado na petroleira abriu caminho para a ineficiência e para a corrupção. Na época, declarou que uma solução seria a privatização, mas que o país não estaria preparado para essa discussão. Ele também defendeu que a empresa buscasse mais transparência na administração e rejeitasse o modelo de regime de partilha na exploração do pré-sal.

Roberto Castello Branco durante seminário organizado pela Folha sobre o futuro da Amazônia – Reinaldo Canato – 27.nov.2017/Folhapress
No fim de outubro, a Folha informou que Castello Branco era o mais cotado para assumir a presidência da Petrobras.

A definição do nome chegou a ter uma disputa entre autoridades do futuro governo. Enquanto Guedes defendia a indicação de Castello Branco, o vice-presidente eleito, General Hamilton Mourão, demonstrava preferência por um nome da área militar no comando da estatal.

Castello Branco é amigo de Paulo Guedes desde a década de 1980, quando Guedes presidiu o Ibmec, rede ensino que ele fundou.

Folha