Saiba quem é a namorada de Lula, a socióloga Rosângela da Silva

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O ex-presidente estaria apaixonado e pensando em se casar, segundo revista

A revista Época revelou a identidade da namorada do Lula. Segundo a coluna do jornalista Guilherme Amado, a socióloga Rosângela da Silva foi quem roubou o coração do ex-presidente. Janja, como é chamada, trabalha há 16 anos na Itaipu Binacional. Ela se formou e fez pós-graduação na Universidade Federal do Paraná.

Ainda de acordo com a reportagem, Rosângela mora em Curitiba até hoje, cidade onde o ex-presidente está preso, e visita com frequência Lula na sede da Polícia Federal no estado. O casal está junto há mais de um ano, antes mesmo de Lula ser preso, revelou Amado. Eles se conheceram nos tempos das caravanas da cidadania e mantiveram a amizade durante todos esses anos.

Recentemente, o perfil oficial de Lula nas redes sociais negou que ele estivesse no Tinder, aplicativo de encontros.

Na noite de sábado (18/05/2019), a revista revelou que o petista está apaixonado e tem planos de se casar.A afirmação foi feita pelo próprio Lula ao economista Luiz Carlos Bresser-Pereira, durante visita na última quinta-feira (16/05/2019), em Curitiba. A informação consta em um texto chamado Visita a Lula na Prisão, no qual o autor conta as conversas que teve com o ex-presidente.

Leia abaixo a íntegra do texto escrito pelo economista:

“Na última quinta-feira eu visitei Lula. Ele está em ótima forma física e psíquica. Sua grande preocupação agora é com a defesa da soberania – com a união dos brasileiros para defender o Brasil e seu povo contra isso que está aí. Sua maior demanda é a de ter reconhecida sua inocência. Está apaixonado e seu primeiro projeto ao sair da prisão é se casar.

Seu grande projeto é o de negociar um grande acordo nacional em defesa dos trabalhadores e das empresas – em defesa da soberania necessária para a retomada do desenvolvimento. No plano internacional diz que é contra qualquer intervenção na Venezuela, mas que é preciso reconhecer os erros de Maduro e do próprio Chávez. Conta que muitas vezes aconselhou o Chávez, que era uma pessoa ótima, mas cabeça-dura. Ouvia os conselhos com atenção, mas não os seguia.

Foi uma honra ter sido convidado por Lula para visitá-lo. Ele estava mais interessado em discutir a crise atual do que ideias. Disse-me que quando sair da prisão, vai me convidar para um almoço só para me ouvir falar sobre câmbio. Eu lhe dei uma cópia do meu livro A Construção Política do Brasil, onde afirmo que fez um belo governo, mas errou em deixar o juro alto e o câmbio apreciado.

Está mais do que na hora de os brasileiros verem Lula livre. Já é tempo de o STF reconhecer tacitamente que ele foi vítima de uma estratégia política através da qual a Força Tarefa da Lava Jato buscou apoio das elites liberal-conservadoras para sua carreira política.

A política brasileira precisa de um líder sem ressentimentos como é Lula. Livre, ele lutará pelo grande acordo nacional que é tão necessário para o Brasil sair da crise em que está mergulhado desde 2014.”

Fonte: Metropoles